Teorema matemático criado e provado de propósito para episódio do Futurama

Acabo de saber pelo Neatorama.com que o produtor do Futurama, David X. Cohen, pediu a um membro do staff com doutoramento em matemática, de nome Ken Keeler, para criar e provar um teorema de propósito para o décimo episódio da próxima temporada da série...


A Featured Post Title

Ser o "computer guy" da família é demasiado ingrato


Eu acho que, no geral e apesar de alguns defeitos, sou boa pessoa. Ajudo quando me pedem ajuda, sou simpático, cordial, prestável. Sou um tipo porreiro, acho. Já me têm dito isso várias vezes, por isso não deve ser só impressão minha - ou então não sou a única pessoa com uma ideia errada de mim.

Apesar de até ser simpático, irrito-me quando as pessoas acham que eu sou obrigado a ajudá-las ou desenrascá-las. Dizer-me «ou fazes ou fazes» é coisa garantida para eu fazer... um manguito e mandar a pessoa à fava. Quando se quer ajuda, pede-se; não se obriga ninguém a fazer o que quer que seja.

Juntem a isto alguém com a mania que sabe e se mete a dar a volta à cabeça da pessoa. Quando alguma coisa corre mal, essa pessoa fica logo toda stressada e a barafustar, sem saber sequer que raio se passa. Os chicos-espertos têm esta capacidade: dar dores de cabeça aos outros. Isso e falarem à boca cheia do que não sabem.

Três parágrafos só para que estou a pensar em deixar de ajudar familiares e amigos com os computadores. Não vale a pena. Há sempre alguém a meter-lhe merdas na cabeça, e quando alguma coisa funciona mal (há sempre algo que acaba por não corre bem), mesmo que até não seja do computador da pessoa - alguém lhe quer enviar um ficheiro e não consegue, por problema do lado de quem envia -, é logo um stress do caraças.


6 Responses to “Ser o "computer guy" da família é demasiado ingrato”


  1. Hey bruno,
    concordo completamente contigo. Eu falo por mim, tenho a minha vida na universidade e as vezes ando muito aflito com projectos ou seja o que for mas recebo pedidos de ajuda que parece que alguém vai morrer, outras irrisórias (1), e outras tão vagas que só me dá vontade de desligar logo o telemóvel como me dizerem "não consigo ligar o meu portátil" tendo de perguntar sempre por detalhes porque pensam que sou adivinho e acaba por ser falta de bateria. É de uma pessoa ficar marada da cabeça.

    (1)-como a ultima que me fizeram, "tens algum programa para descobrir passes do gmail?"


  2. Sou mais um a concordar. Ha pessoas e pessoas é certo, mas as que têm a mania que sabem e só porque aprenderam a executar um atalho com o duplo clique já pensam que são barras na "coisa dos computadores" - ou que criam um blog e já pensam que isso é uma coisa fantástica. Enfim ossos do ofício


  3. e aquelas que pedem ajuda e antes de fazermos o que quer que seja ja levámos com um rol de instruçoes sobre o que devemos fazer? se sabem tanto porque é que nao fazem elas?

    em relação ao primeiro comentario, sei bem o que isso é, e desde ja a minha solideriedade, perguntas como: - o monitor nao funciona? - ja experimentou ligar o botão? - ahh não sabia que era preciso!! isto em alunos do 4ºano universitario é preocupante


  4. Tenho um amigo meu que fazia isso. Começou a cobrar. Teve de ser.


  5. @Chuck Fan Nº1
    Há mesmo situações que nem ao diabo lembra.

    @Jorge Grave
    Eu lido com pessoas assim profissionalmente, bem que dispensava pessoas assim na minha vida pessoal.

    @ze peixinho
    Acontece-me bastantes vezes receber instruções... :\


  6. @Dora
    Não é má ideia, não senhor! Ou deixavam de me chatear ou eu ficava com mais uns cobres na conta. ;)

Post a Comment