Teorema matemático criado e provado de propósito para episódio do Futurama

Acabo de saber pelo Neatorama.com que o produtor do Futurama, David X. Cohen, pediu a um membro do staff com doutoramento em matemática, de nome Ken Keeler, para criar e provar um teorema de propósito para o décimo episódio da próxima temporada da série...


A Featured Post Title

Um trabalho nada monótono


O meu actual trabalho é repleto de pequenas situações caricatas e estranhas ao longo do dia. Isto torna-o pouco maçador e monótono, até mesmo naquelas alturas em que é mais parado.

As situações peculiares que vão acontecendo ao longo do dia são o grande culpado para que este não seja um trabalho de que as pessoas se fartem em pouco tempo. Aliás, as coisas estranhas que vão acontecendo normalmente fazem rir quem passa por elas. Bem, eu rio-me das minhas.

Nem só de pequenos casos caricatos é feito o meu dia. Quase sempre, há um que se destaca, tanto pela filmaria que envolve, como pelas gargalhadas e (bom) stress que me causa. Um dos mais recentes foi com um senhor já velhote, a quem tive que explicar como colocar um @.

O mais recente de todos passou-se ontem. Liguei para uns clientes e atendeu-me uma senhora, que colocou em cima da filha - que parecia ter, no máximo, 10 anos - a tarefa de aceder à página de configuração do router e dizer-me os valores de ruído, atenuação, etc, que o equipamento indicava. A pequena percebia muito pouco de inglês e parecia ter problemas de visão, porque tinha bastantes dificuldades em fazer o que lhe pedia.

Isto ainda fica pior, porque ainda tive que ligar outra vez, falar com a mesma miúda e pedir-lhe novamente todos esses dados. Acho que as duas chamadas duraram, no total, perto de uma hora. A do velhote, que só precisava de configurar o router com os dados, demorou quase uma hora.

Ainda me estou a ver a dizer a este senhor de idade: «para colocar a arroba [1], carregue na tecla à direita do espaço e, enquanto a mantém premida, carregue no número 2, que está por cima do w». É preciso uma paciência enorme para isto.

[1] odeio dizer arroba, mas as pessoas raramente lá vão quando digo «at».


4 Responses to “Um trabalho nada monótono”


  1. Trabalhar num Call-center tem sempre situações destas.


  2. Arroba e "at" não é a mesma coisa.
    Arroba é o nome do caracter enquanto "at" é um dos seus possíveis significados.


  3. muito intressante...


  4. assumindo que o velhote estava com uma mão ocupada no telefone, clicar ao mesmo tempo no Alt Gr e no 2 também não deve ser muito fácil, para ele, claro @

Post a Comment